03/02/2007

Talvez

Talvez não seja exactamente aquilo que gostaria de ser, mas quem é? Oxalá fosse um oitavo do que poderia ser.
Talvez não deja exactamente aquilo que os outros gostariam que eu fosse, mas quem é? Oxalá tivessem uma razão razoável para exigirem isso de mim, ou de qualquer outro. Exijam de si mesmos.
Talvez não goste da vida que levo. Por mais resilente que seja, sempre há um desconforto agudo que não consigo solucionar. Mas por que me culpar? Ainda se a culpa resolvesse algum problema.
Talvez não devesse menosprezar o mundo. Mas não gosto dele, o que hei de fazer? Acho-o grosseiro demais, feio e desnecessariamente agressivo. Tolero.
Talvez devesse me esforçar mais para saber o que as pessoas esperam de mim, isso melhoraria minha sociabilidade. Mas não consigo saber nem o que eu espero de mim! E não devo coisa alguma à sociedade.
Talvez eu esteja envelhecendo mais depressa do que seria desejável. Ou será que tenho razão? Deus queira que não, detesto ter razão. Quando acerto é porque se trata de alguma tragédia ou um prejuízo, então fico o dia todo a ouvir aquela ladainha: "Você tinha razão", como se isso ainda adiantasse de alguma coisa. Não quero ter razão, quero resolver o problema!
Talvez não tenha sabido perdoar as pessoas a contento, ainda que elas me infrinjam uma ferida sem nem dar tempo de a outra cicatrizar, para depois virem me pedir ajuda na primeira crise. Afinal, se pedem ajuda é porque precisam, ainda que suas consciências digam que não merecem.
Talvez não tenha sabido me perdoar. Meu caminho parece ser muito íngreme e inóspito para a maioria. Essas duas qualidades não admitem muita margem para erros, mas eu erro, ou não estaria aqui. Aliás, estou aqui a contragosto, reencarnei com solenes protestos.
Talvez nem goste de mim. Pode ser isso. Olho no espelho e raramente não me entristeço com o que vejo, minhas photographias sempre me deixam mais estúpido do que realmente sou, com cara de vítima.
Mas não tenho certeza nenhuma.

2 comentários:

Radio Rio de janeiro disse...

Nanael
Estou tentando ajudar a Rádio Rio de Janeiro, que é uma das poucas rádios Espíritas do Brasil.
Coloquei o endereço da Rádio no link desse post, basta clicar que voce poderá ouvi-la pela internet.
A programação é muito legal e - justamente por isso que escrevo - ela precisa de divulgação.
Ouça a rádio, fale um pouco dela depois, se puder fazê-lo, em suas crônicas.
Desde já agradeço.
Saudações Fraternas
Tiburcio

Nanael Soubaim disse...

Às ordens, camarada.