26/04/2009

Meu manual do homem romântico

Para começo de conversa, assuma a mulher, com todos os defeitos e todas as qualidades, com a família por perto e sabendo dos amigos que ela tem. Sem isto, nada feito.
Não adianta inventar apelidinhos fofos e constrangedores, chamar de "Momoca", "Bunzunguinha" ou qualquer outro que (se eu fosse mulher) me faria dar um tempo na relação; leia-se: dar o fora. Apelidinhos são muito bons na adolescência, nem sempre em público e dificilmente sobrevivem à fase adulta... Graças à Deus. Apelidos fofos são muito bons para personagens de anime, na vida real eles quase sempre caem no ridículo.

Um bom apelido não é inventado, ele está na cara da pessoa e surge aos poucos para os mais atentos. Uma amizade de longa data ajuda muito a encontrar bons apelidos, mas infelizmente a maioria dos casais não consegue ser também de amigos. Infelizmente porque com os anos é a amizade que sustenta o casamento. Sim, meus caros, casamento. Se isto está completamente fora dos teus planos, desculpe, entraste no blog errado.

Não queira tornar tua amada uma inútil, cercada de confortos e privada de iniciativas relevantes. Ela e a vida vão lhe cobrar os tributos dessa arrogância. Tampouco deixe-a desamparada, ajude-a a quitar suas dívidas, mas é para ajudar e não pagar tudo por ela. Isso tanto a faz se sentir útil quanto faz um belo polimento na tua imagem, tanto para ela quanto para a família dela.

Há uma diferença muito grande entre ser Homem e ser macho. Qualquer animal pode ser macho, grosseiro, brigão, promíscuo, et cétera. O homem sabe qual cabeça deve comandar qual, sempre escolhendo a de cima, para que a de baixo cumpra suas funções sem pôr tudo a perder. O homem comanda o animal que lhe serve de corpo, usa os instintos em vez de ser usado por eles, honrando a lenta e dolorosa evolução pela qual nossa espécie passou. Se tu aprendes isto, já és um romântico.

Minha noção de romantismo não tem a ver com as viagens na maionese que muitos divulgam. Lembremos que ainda andamos sobre a terra, precisamos do chão firme para nossos pés; às vezes de água limpa para nadar também, mas esta é outra conversa. Minha noção de ser romântico é baseada na entrega, fazer tudo o que estiver ao meu alcance para amparar e dar um pouco de alegria. Quase sempre o facto de estar por perto e disponível é suficiente. Muitos homens têm arrepios de ouvir uma mulher desabafando, o que contraria a regra básica se ser amigo de seu par, sem o quê um casamento fica na corda bamba. Se quer que ela aceite a presença dos teus amigos e as bobagens que falam sobre futebol, então aprenda a aceitar as bobagens dela também. Usar um peso e uma medida alimenta tanto o respeito quanto a confiança mútua, e ela te deixa sair com eles sem policiar teus passos.

Ouvir e se fazer presente, quando necessário, equivale a ter um médico por perto atentando aos menores sintomas, pode até prevenir um suicídio.

Gentilezas são um indício de civilidade, algo que tornaria o mundo um lugar seguro para se viver, imagine então os efeitos delas em uma casa. Não peço que a leve a um restaurante caríssimo, simplesmente que alivie o trabalho doméstico. Prendas domésticas são importantes, ajudam a valorizar a família e educar (sendo o caso) os filhos. Trabalhar junto dela, em casa, estreita os laços e faz a tua presença ser mais importante, a ponto de uma ausência breve ser sentida. É a diferença entre ela dizer "Ah, enfim sozinha" e "Ele está demorando (após cinco minutos de ausência)".

Voltando ao primeiro parágrafo, assumir significa também fazer escolhas. Tens amigos, tens hábitos arraigados, tens toda uma história de juventude. Não precisa abrir mão, mas precisa saber que existe uma diferença entre um casal e dois solteiros. Meu querido, um casal é um compromisso. Em maior ou menor escala, algumas cousas mudam, o par precisa da tua atenção. Não se casa com o futebol, muito menos com prostitutas que colegas secundaristas costumam arranjar. Algo vai mudar ainda na fase do namoro sério e vocês dois terão que dar conta disso. Amigos terão menos tempo, farras terão menos tempo, enfim, se ainda não amadureceram a maturidade vai entrar à força. Aprenda a abrir mão de um pouco, para não perder tudo.

Eu já disse em um monte de lugares, um monte de vezes o que constatei ao longo da vida: machismo é homossexualismo enrustido. Então deixa de ser fresco e aceite as delicadezas que ela te dispensar. Tu não se garantes? Pois deixe ela te pentear, fazer tuas unhas, te hidratar, que ninguém precisa ficar sabendo e se souber, vais descobrir quem realmente são teus amigos. Tu abre mão de um pouco agora e ela abre mão de um pouco depois.

Por falar em delicadezas, as tradições dos realmente antigos valorizavam delicadezas e as coisas belas, o que o encrudescimento da idade média transformou em futilidade. Não entrarei em méritos e não farei um tratado a respeito, é assunto para um livro inteiro. Apenas digo que são muito importantes, fazem toda a diferença e hoje em dia evitam que as potências mundiais se destruam umas às outras. Sensibilidade e sofisticação são essenciais, não repitamos os erros medievais e não as misturemos com caprichos fúteis, pois as mulheres conseguiram preservar a essência de tudo isso e gostam de tudo isso. Colares singelos, uma blusa florida, sapatos baixos para ela descansar seus lindos pezinhos são artigos de baixo custo que farão seus olhos brilharem. Não só isso, ela vai querer mostrar para todo mundo o que ganhou, vai repetir teu nome uma centena de vezes e fazer a tua boa fama. Mulheres sabem se vingar, mas também sabem agradecer como nenhum homem consegue. Também são mais práticas do que podes imaginar, o que lhes rende a pecha de interesseiras, quase sempre injusta.

Aprender a cozinhar é importante, tanto para quem mora sozinho (e não quer ir à falência em restaurantes) quanto para quem quer tomar um rumo na vida. O de baixo não vai cair se comprar e ler um livro de receitas, pelo contrário, vai até ficar mais activo com a alimentação mais saudável. Então, depois de descobrir que a massa não pode ficar ad infinitum no forno, cozinhe para ela. Faça um lanche para ela, acostume-a a te ver como parte importante de sua vida. Ela não tem muito tempo para sair do trabalho e almoçar decentemente, prepare um bom grelhado, junte alguns legumes, um pão recheado, uma fruta e faça a surpresa, leve-lhe um almoço feito com todo amor e que custaria os olhos da cara no restaurante. Ser romântico é também ser útil sem que ela precise pedir.

Seja honesto, não minta para ela. É horrível descobrir que não se pode confiar na pessoa que te abraça todos os dias, com quem nenhuma intimidade é segredo.

Aprendido tudo isso, pode decorar e redigir poemas, aprender música, cantar para ela, levá-la ao restaurante e tudo mais. Depois de assumir tua mulher, o que é muito mais trabalhoso do que quem está de fora pensa, então podes passar para os detalhes. Boa sorte.

18 comentários:

Lótus disse...

escreva mais sobre a história de "assumir a tua mulher"... o q é exatamente isso na vida de um homem? por que eles se esquivam tanto disso?

Nanael Soubaim disse...

Escreverei, querida. Adianto que ssumir um compromisso é abrir mão de uma vida irresponsável e muito conveniente, na qual se tem uma fonte de prazeres sem ter que arcar com suas obrigações.

irene disse...

Meu querido, procuro ardentemente por um homem assim... Sabes onde encontrá-lo? Tenho dois casais amigos com esse perfil. Que felicidade! Já dá para ter esperança...

Pimentel Julio disse...

Gostei do Manual.
Já pensou em reproduzi-lo e, nem vende, dar de presente para alguns que eu conheço e que provavelmente conheça?.
Brincadeira...Gostei do Blog...Parabéns...faz uma visita ..
http://faculdademriodeandrade-tgf.blogspot.com
Prazer Grande abraço,
Lá saberá onde mais me encontra..

New disse...

Só conheci dois homens assim na minha vida. Por sorte pude tê-los como companheiros e acima de tudo amigos.
E, aquela frase vale e, como vale: "case-se com quem você gosta de conversar".
O 'casa-se' não precisa ser exatamente levado ao pé da letra. Qualquer relalionamento só vingará com o tempo se a gente tiver prazer em conversar com o outro. Nisso está implícito: saber ouvir.
Beijos

Lancelot Lockhart disse...

Excelente texto meu caro Nanael, concordo com o que escrevestes no manual, falaste em um grande desafio dos homens de hoje, que é saber ouvir as mulheres, demostrar prestatividade, atenção, não se deixar levar por proibições bestas impostas pelo machismo exacerbado. Belo texto

Forte abraço

Lancelot Lockhart

http://leandrolancelot.blogspot.com

FernandaPacheco disse...

Parabéns!!! Concordo plenamente com vc... Em todos os aspectos do texto.

Márjole Coletro disse...

Sinceramente, difícil é achar homens assim.
Texto muito interessante. E é claro, bastante otimista.

Nanael Soubaim disse...

Bem, minha cara, eu sou assim. Acredito piamente que há outros, lá no fundo da sala, com medo de levantar o dedinho e ouvir "Bicha! bicha!" do resto da turma.

Vy disse...

Estou sem palavras meu anjo... Devia ter lido este artigo antes de escrever, acho que estava com raiva de algumas coisas por aqui... Se bem que, lendo, estou ainda mais certa do que escrevi. E resoluta. Obrigada pelas palavras de carinho sempre! Beijo grande! Vy

Renato disse...

Nanael, Meus parabens, Graças a Deus vivo muito bem no meu casamento sou novinho so tenho 19 anos, mais a melhor coisa da minha vida foi ter casado, encontrei minha esposa na net, conversamos o tempo todo, e samos abençõados por Deus, estamos casados a 3 anos e vivemos quase igual o que vc disso ao texto, eu sei se muitos seguirem pelo menos 3% de tudo q esta escrito serão muito Felizes...
Abraços e Parabens...

Nanael Soubaim disse...

É uma satisfação ter depoimentos como o teu. Agradeço, fique à vontade.

Anônimo disse...

Parabéns tudo que você escreveu é incrivel e melhor a mais pura verdade.
Você realmente é especial estou admirada,mais uma vez PARABÉNS!

Nanael Soubaim disse...

Soham! Muito obrigado.

Anônimo disse...

gostei mto do que voce disse nanael..sou considerado como bicha por mtos pq nao tive vergonha de levantar meu dedinho..tenho 15 anos agora, mas quero sim ter uma esposa mesmo como posso trata - la do jeito q vc disse no blog..esse seu blog me traduz mtoo..

abraço

Nanael Soubaim disse...

Eu também, Anônimo, passei por isso. Muito mais gente passou por isso. Bem-vindo.

Emanuele Benites disse...

olá! é incrível como palavras escritas há anos, como as suas, resistem e acalentam! gostei muito do seu texto, te falarei um pouco da minha história para que saiba o poder curativo do amor: sempre procurei um homem romântico para estar ao meu lado, alguém como você escreveu, que abrisse a porta do carro, que cozinhasse qdo eu não pudesse, que fosse prestativo com os serviços do lar- me desiludi. Cheguei ao ponto de enterrar minha vida sentimental e virar vida louca uma época, até que um dia encontrei na música minha paz e tudo mais, comecei a tocar teclado. Foi como uma limpeza de alma, me afastei de mas pessoas. Depois de 3 anos de aprendizado, fiz amizade com um rapaz que também é músico. Ele era muito pisado por ser romantico, carinhoso, chegava ao ponto de passar humilhações tanto de homens como de mulheres (sim, MULHERES). Nos ligamos fortemente na amizade, conversávamos sobre tudo. Hoje ele é meu marido e cuido muito bem dele, mesmo ele sendo 3 anos mais novo e enfrentando preconceito, isso não nos afeta pois nossa base foi a amizade e o diálogo! beijos

Emanuele Benites disse...
Este comentário foi removido pelo autor.