02/05/2014

Habilitação de salto alto



  Um texto ameno, para variar... Quer dizer, o assunto é ameno, mas pode eriçar pelos de ativistas com baixa capacidade de interpretação de textos. Vamos lá.

  Norma Jeane Mortenson, a glamourosa Marilyn Monroe, disse certa feita que não sabia quem inventou o salto alto, mas as mulheres lhe deviam gratidão eterna. Eu acrescentaria: Deveriam gratidão eterna, se ele tivesse deixado um manual da proprietária. Explico.

  Andar de salto não pode causar só problemas ortopédicos, mas também de convivência. Uma mulher que não sabe andar de salto e se mete a andar, não fica apenas desengonçada, ela atrapalha o fluxo. Na tentativa de se equilibrar nos sapatos, não perde apenas a graça do andar, acaba cambaleando e mexendo demais os membros superiores, não só ocupando mais espaço do que lhe cabe como também passando insegurança aos demais, que tentam manter uma distância maior. Mais ou menos como um homem que sempre andou de tênis e chinelos, e de repente se aventura em uma fantasia e precisa usar saltos.

  Visualmente é uma ironia triste ver uma moça bem vestida, com roupas bem cortadas e sapatos de boa qualidade, andando emborcada, trotando com as pernas bastante abertas. Se usar salto muito alto já compromete a coluna, imaginem andando de modo rude! Isso acontece porque ela simplesmente não sabe usar salto alto! Anda trotando porque não consegue controlar os pés se iniciar o passo com o salto do sapato, e anda de pernas abertas porque tem medo de cair. Se estiver acostumada a essa situação, as coisas pioram muito, porque a coluna ficará cada vez mais comprometida, assim como os tendões e a própria saúde da moça. A velhice saberá cobrar o preço, que pode incluir uma corcunda.

  Novamente vou passar por antiquado, porque ainda não me ofereceram uma resposta melhor. Não que eu não seja antiquado em certos momentos, mas não vem ao caso.
  Alguém andou espalhando que ser e se manter bonita é uma regra opressiva da estética dos anos cinqüenta, e muita gente levou à sério. Não estou inventando, eu vejo, leio e ouço verdadeiras aberrações totalmente desprovidas de fundamentação científica e empírica, e esta não é a pior. Tanto quanto, alguém espalhou que charme e elegância são coisas de gente fútil e elitista, e dos anos noventa para cá as moças deram muito crédito a essa asneira. Normalmente quem diz isso é do tipo que só quer saber de ir ao que interessa e confunde facilmente admiração, mesmo que discreta e silenciosa, com assédio.

  Não que andar de salto seja algo simples e menos ainda que todas tenham obrigação de dominar essa arte, eu escrevo aqui para as muitas que reclamam que não conseguem se equilibrar naqueles sapatos chiquérrimos, mas também perigosos. As adeptas dos pés horizontais não se sintam ofendidas, não é contra vocês que eu escrevo, é pelas adeptas dos pés verticais. Assim como escrevi este texto aqui, incentivando o uso da mini saia e enumerando os benefícios para suas usuárias, escrevo este para as amantes dos passos aristocráticos.

  Em primeiro lugar o salto alto não é para qualquer ocasião. Não só por forçar as pernas e a coluna, mas também porque precisa de piso liso e bastante horizontal, tanto mais quanto mais alto for o salto. Dirigir então, nem pensar! O salto pode prender um pedal e o acidente é certo; salvo se for um Fusca ou derivado, claro, onde os pedais são dos mais antigos, fixos no assoalho e pressionados pelas pontas dos pés; um dos motivos de ele cansar mais em longas viagens.

  Em segundo lugar é necessário reaprender a andar para usar salto, principalmente os perigosos agulhas. Como seria? Explico: Comece ficando parada, com os pés juntos. Tenha em mente algumas coisas...
  • Os passos ficarão mais curtos quanto mais alto for o salto, é inevitável porque as panturrilhas ficarão contraídas quase totalmente e o tempo todo. Então não use se estiver com muita pressa;
  • Vais atrair muita atenção masculina e das lésbicas. Andar de salto sem parecer uma gueixa exige que se rebole muito, para compensar a limitação das panturrilhas, tanto mais quanto longos e rápidos forem os passos, pressa que qualquer ortopedista contraindica, diga-se de passagem;
  • Vais se cansar mais. Isso parece óbvio, mas ninguém pensa nisso quando vê aquele par maravilhoso e assinado na vitrine. Músculos retesados fadigam mais depressa, então se preparem para parecerem moças delicadas nascidas em berço de ouro, porque vão precisar de descanso e ajuda com grande freqüência; torçam para haver um cavalheiro por perto, aliás, rezem;
  • Vai doer. Tenha um pequeno estoque de curativos e gel de arnica da bolsa, porque pés e pernas vão reclamar muito. Se a jornada se estender por algumas horas, logo as coxas reclamam, depois os glúteos e finalmente a coluna. Novamente vais parecer uma dondoca mimada, mesmo que a impressão seja absolutamente falsa.
Bem, eu não quero transformar seus sonhos de elegância em uma filial do purgatório, então vou enumerar as vantagens de quem aprende a andar de salto alto; aprende e pratica regularmente:
  • A primeira vantagem é a elegância, que será vista de longe. Te obrigando a corrigir a postura, até mesmo uma refeição exagerada vai causar incômodo, ajudando inclusive na dieta. Com a postura vêm as companhias mais refinadas, com elas novas oportunidades, e quem for teu amigo de verdade não vai te abandonar porque os outros te acham metida à besta;
  • A segunda é a concentração. Andar de salto não é para estabanadas, é quase como dirigir um automóvel. Acostumar-se a monitorar os próprios passos te ajudará a ter concentração também nos estudos e no trabalho, é quase automático;
  • A terceira é a responsabilidade. Com o já exposto, o senso de espaço e oportunidade brota, se ainda estiver recluso e cresce. Sabendo se ater ao seu espaço, aprende-se a respeitar o espaço alheio e cuidar para evitar invasões, com o tempo a sua função na sociedade fica mais clara e mais simples arcar com ela, seja qual for a que tiveres escolhido;
  • A quarta é o glamour. Não falo só da leva de babões que deixam os queixos caírem com a tua passagem, falo também da tua agenda social. Salto alto cansa, te faz ver tua casinha e tua caminha com mais simpatia, te obrigando a selecionar melhor os convites e eventos. A conseqüência é imediata, quem não pode ir a qualquer festa é sempre vista como pessoa ocupada e importante, os teus amigos passarão a selecionar melhor os lugares aos quais de convidam, e tua presença passará a ser mais notada.
  Parece tudo muito bonitinho, mas ainda fica a pendência, não existe uma faculdade formal de elegância no país. Quando muito, gays famosos ensinam em programas de televisão seus truques para usar salto alto. Infelizmente a televisão foca demais a sensualidade e acaba distorcendo as duas imagens, a dos gays e a do salto alto, já que, como disse um amigo genial, inteligência não vende bombril; sofisticação também não. Dicas para quem quer usar salto:
  • Ninguém em sã  consciência entrega um Plymouth Superbird Numerado para quem acabou de tirar a habilitação provisória. Ninguém em sã consciência te aconselharia a usar um salto Luís XV logo de cara. Acostume-se aos saltos baixos e vá graduando;
  • Tenha sempre uma sapatilha na bolsa, para quando tiveres que dirigir. Também servirá para as horas de descanso, quando estiveres sozinha no escritório;
  • Evite entrar em banheiros recém lavados. Não preciso dizer os motivos;
  • Cuidado com o comprimento da saia, salto alto empina o derière e levanta a parte de trás da barra, revertendo a intenção de manter os cafajestes longe. Eu sei, é um absurdo, os garotos é que deveriam aprender a se controlar desde criança, mas infelizmente isso ainda é um sonho;
  • Atenção nas escadas! Suba e desça sempre meio de lado, isso ajuda a disfarçar closes indiscretos de tua anatomia e ainda facilita o deslocamento;
  • Sempre, mas SEMPRE MESMO prefira os sapatos com alma de aço. Um salto alto é muito perigoso e a falta de rigidez torcional pode te fazer cair de tal forma, que pode até quebrar teu pescoço; isso já aconteceu e é uma das mortes mais idiotas do mundo. Gaste mais por tua segurança e não tenha preguiça de levar uns cem ou duzentos gramas mais em cada pé.
  Andar de salto é quase como dançar, por isso umas aulas de balé fazem tanta falta não só a quem usa o salto, mas também a quem vê o espetáculo desengonçado. Já é deprimente o suficiente ver os rapazes se tornando trogloditas mimados. Tentem as amantes dos saltos reproduzir isto: Descalça e de pés juntos, levante um pouco um deles e dê um chute delicado para frente, iniciando assim o passo. O pé que iniciou o passo deve ficar na frente do outro, que para dar o outro passo deverá repetir a operação em um semicírculo. Faça de modo que o calcanhar toque primeiro o chão e o peito pouse suavemente, se apoiando por último nos dedos. Vais sentir a musculatura trabalhando, especialmente a do quadril. Sempre use os glúteos para puxar a perna e dar o impulso, quanto mais músculos envolvidos, menos vais se cansar. contraia levemente o abdômen, isso vai ajudar a manter a postura e a coluna vai te agradecer por isso. Faça o exercício andando sobre uma linha reta, até se acostumares a andar assim, o que vai te ajudar até quando o sapato for rasteiro.

  Por último, mas não menos importante: Pelo amor de Deus! Feminilidade não é machismo! Ser delicada e elegante não é ser submissa! Ser e se manter bela não é uma afronta às conquistas femininas! Todas as mulheres com quem tenho amizade, e são muitas, são independentes e mandam em seus narizes, e prezam tudo isso de que tratei neste texto! TODAS!

  Antes do que vocês pensam, estarão andando com naturalidade e até certo conforto no salto alto,  que uma vez dominado é um servo fenomenal. Para quem quer se aprofundar, o ícone de hoje, diva e digna herdeira da elegância cinqüentista, é Dita Von Teese.

2 comentários:

v8andvintage disse...

Minha esposa, que possui tendão encurtado e anda na ponta dos pés, é a pessoa mais elegante que conheço andando de saldo. Sem, parece uma pata!

Nanael Soubaim disse...

Isso é raro, mas esposa de vintagista é sempre mais elegante do que a média.